(79)9-9851-9301

NO AR

Portal Web Rádio União de Sergipe

www.portalrus.net

Jogada de classe! Coluna Daniel Damasio

JOGADA DE CLASSE - MIMIMILÂNDIA

Publicada em 14/09/18 as 13:49h por Daniel Damásio - 29 visualizações


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Portal R.U.S )
Na vida, a solução mais fácil quando a coisa aperta é sentar regras (no dizer mais elegante) do que se cobrar o próprio exemplo. Se acontece nas melhores famílias, o que dizer do futebol, onde os tempos de VAR’s, memes, whatsapps e de saudades de troços como ética e tolerância vêm jogando velhas crenças nossas na vala comum das coisas ultrapassadas – mesmo as que insistem em aparecer antes, durante e, principalmente depois de um clássico.

Setembro, por exemplo, despertado por dois dos maiores clássicos do futebol brasileiro; o Gre-Nal e o Derby Paulista. Ambos às vésperas de semifinais da Copa do Brasil e quartas-de-final da Libertadores, e que acabaram em memes, mentiras e mimimis (os empurrões são os de menos). No primeiro, só faltou Renato Portaluppi invadir o vestiário colorado, e no segundo, uma piscadela de olho foi a gota d’água para outras cenas patéticas. Dias depois, presidentes de Flamengo e Corinthians (um que tem e outro que dizem ter) trocam farpas por causa do sorteio do árbitro do jogo no Maracanã. E onde tudo se deságua? Nas ruas, nas delegacias, na maldita torcida única em clássicos e no pântano das redes (anti) sociais.

No fundo, tudo isso é muito feio. Longe, e ao diabo com os falsos moralismos, mas por mais que as chacotas e brincadeiras sejam válidas, os ditos profissionais do futebol carregam responsabilidades maiores do que pensam na promoção do espetáculo Futebol, e isso passa por uma postura mais séria, focada, dedicada, coletiva, respeitosa e cortês, onde os fisiologismos das arquibancadas passem longe das quatro linhas, concentrações e bastidores dos clubes e federações.

Isso não quer dizer que coisas assim não se veem na nossa Aldeia. Em jogos decisivos ou no Clássico-Maior, um mínimo refrega ou gesto mal empregado já é motivo de alfinetadas e “troca de gentilezas”, não que tenha ainda acontecido algo mais sério neste ano numa primeira fase ainda morna da Segundona sergipana, mas o alerta vem do ano passado, onde os times de Socorrense x América chegaram, praticamente, às vias de fato.

E é justamente quando a coisa aperta é que quem leva a bandeira do futebol precisa (ao menos para honrar o alto salário de alguns) é de mais bom-senso e menos chilique, mais atitude e menos conversa fiada.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Enquete
Qual dessas Redes Sociais voce acessa?

 Instagram
 Youtube
 Facebook
 Twitter







.

LIGUE E PARTICIPE

(79)3241-4138

Visitas: 36064
Usuários Online: 12
Copyright (c) 2018 - Portal Web Rádio União de Sergipe